Biografia - Danilo Mascarenhas de BalasBiografia

Conheça o perfil do mais novo integrante do PDO  DEPUTADO ESTADUAL AGENTE FEDERAL DANILO BALAS.

Danilo Mascarenhas de Balas é sorocabano, nascido em 26 de agosto de 1976. Filho de Virgínia Amélia Mascarenhas e Dagoberto Vicente de Balas (in memoriam), foi criado por seus avós maternos, Célia e Abílio Mascarenhas.

Com 17 anos, Danilo Balas ingressou na Academia de Polícia Militar do Barro Branco. Seu objetivo era trilhar a carreira militar, inspirado em seu avô materno, Major Mascarenhas, que o criou após o falecimento de sua mãe.

Formou-se Aspirante Oficial em 1997 e iniciou sua carreira no patrulhamento ostensivo na zona sul de São Paulo.

Em 2000, formou-se professor pela Escola de Educação Física da Polícia Militar e, em 2001, concluiu sua Especialização em Fisiologia do Exército pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Cursou a faculdade de Direito na Uniban, concluindo a graduação no ano de 2004, quando passou no concurso de Agente Federal.

Em 2005, tomou posse na delegacia da Polícia Federal em Epitaciolândia/AC, fronteira do Brasil com a Bolívia. No ano de 2007, já atuava em Brasília/DF no Comando de Operações Táticas (COT), unidade de elite da Polícia Federal, responsável pelas intervenções de alto risco e alta complexidade em todo o Brasil.

Em 2011, conheceu sua esposa, Fernanda Favaretto de Balas, também Agente de Polícia Federal, nascida em Araras/SP, com quem se casou em 2012. Dessa união nasceu a pequena Júlia, em março de 2018, hoje com 18 meses.

Danilo Balas foi instrutor na Polícia Militar de São Paulo e é instrutor da Academia Nacional de Polícia em matérias operacionais, compartilhando sempre sua experiência com os futuros policiais que lutarão por nosso Brasil.

O Agente Federal Danilo Balas trabalha há 25 anos com Segurança Pública, tendo atuado em 25 estados do Brasil em operações como Agente de Polícia Federal, combatendo o tráfico de drogas e armas, tráfico de pessoas e diversos crimes que ameaçam a população.

Retornou para Sorocaba em 2011, onde atua na delegacia da Polícia Federal responsável por 48 municípios, inclusive pela Região Metropolitana de Sorocaba.

Em 2018, o Agente Federal Danilo Balas candidatou-se pela primeira vez ao cargo de Deputado Estadual por São Paulo pelo partido (PSL), conquistando uma cadeira na Assembleia Legislativa de São Paulo com o total de 38.661 votos, recebidos em 498 cidades do estado de São Paulo.

Atuando como Deputado no Parlamento paulista, é Vice-Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito para o Remédio Popular (CPI da FURP). Criou a Frente Parlamentar de Combate à Corrupção. É Vice-Presidente da Comissão de Fiscalização e Controle (CFC). É também membro suplente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação; da Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento; da Comissão de Infraestrutura; e da Comissão de Segurança Pública e Assuntos Penitenciários.

Biografia – 

Conheça o perfil do mais novo integrante do PDO  DEPUTADO ESTADUAL AGENTE FEDERAL DANILO BALAS.

Danilo Mascarenhas de Balas é sorocabano, nascido em 26 de agosto de 1976. Filho de Virgínia Amélia Mascarenhas e Dagoberto Vicente de Balas (in memoriam), foi criado por seus avós maternos, Célia e Abílio Mascarenhas.

Com 17 anos, Danilo Balas ingressou na Academia de Polícia Militar do Barro Branco. Seu objetivo era trilhar a carreira militar, inspirado em seu avô materno, Major Mascarenhas, que o criou após o falecimento de sua mãe.

Formou-se Aspirante Oficial em 1997 e iniciou sua carreira no patrulhamento ostensivo na zona sul de São Paulo.

Em 2000, formou-se professor pela Escola de Educação Física da Polícia Militar e, em 2001, concluiu sua Especialização em Fisiologia do Exército pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Cursou a faculdade de Direito na Uniban, concluindo a graduação no ano de 2004, quando passou no concurso de Agente Federal.

Em 2005, tomou posse na delegacia da Polícia Federal em Epitaciolândia/AC, fronteira do Brasil com a Bolívia. No ano de 2007, já atuava em Brasília/DF no Comando de Operações Táticas (COT), unidade de elite da Polícia Federal, responsável pelas intervenções de alto risco e alta complexidade em todo o Brasil.

Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas

Em 2005, tomou posse na delegacia da Polícia Federal em Epitaciolândia/AC, fronteira do Brasil com a Bolívia. No ano de 2007, já atuava em Brasília/DF no Comando de Operações Táticas (COT), unidade de elite da Polícia Federal, responsável pelas intervenções de alto risco e alta complexidade em todo o Brasil.

Em 2011, conheceu sua esposa, Fernanda Favaretto de Balas, também Agente de Polícia Federal, nascida em Araras/SP, com quem se casou em 2012. Dessa união nasceu a pequena Júlia, em março de 2018, hoje com 18 meses.

Danilo Balas foi instrutor na Polícia Militar de São Paulo e é instrutor da Academia Nacional de Polícia em matérias operacionais, compartilhando sempre sua experiência com os futuros policiais que lutarão por nosso Brasil.

O Agente Federal Danilo Balas trabalha há 25 anos com Segurança Pública, tendo atuado em 25 estados do Brasil em operações como Agente de Polícia Federal, combatendo o tráfico de drogas e armas, tráfico de pessoas e diversos crimes que ameaçam a população.

Retornou para Sorocaba em 2011, onde atua na delegacia da Polícia Federal responsável por 48 municípios, inclusive pela Região Metropolitana de Sorocaba.

Em 2018, o Agente Federal Danilo Balas candidatou-se pela primeira vez ao cargo de Deputado Estadual por São Paulo pelo partido (PSL), conquistando uma cadeira na Assembleia Legislativa de São Paulo com o total de 38.661 votos, recebidos em 498 cidades do estado de São Paulo.

Atuando como Deputado no Parlamento paulista, é Vice-Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito para o Remédio Popular (CPI da FURP). Criou a Frente Parlamentar de Combate à Corrupção. É Vice-Presidente da Comissão de Fiscalização e Controle (CFC). É também membro suplente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação; da Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento; da Comissão de Infraestrutura; e da Comissão de Segurança Pública e Assuntos Penitenciários.

Titulo 2: Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas

Link: Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas

Deputada: Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas.

 Hoje: Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas,  Biografia – Danilo Mascarenhas de Balas.

Jeosafá derrota Moabe e Amom

1 Depois disso, os moabitas e os amonitas, com alguns dos meunitas, entraram em guerra contra Josafá.

2 Então informaram a Josafá: “Um exército enor­me vem contra ti de Edom, do outro lado do mar Morto. Já está em Hazazom-Tamar, isto é, En-Gedi”.

3 Alarmado, Josafá decidiu con­sultar o Senhor e proclamou um jejum em todo o reino de Judá.

4 Reuniu-se, pois, o povo vindo de todas as cidades de Judá para bus­car a ajuda do Senhor.

5 Josafá levantou-se na assembleia de Judá e de Jerusalém, no templo do Senhor, na frente do pátio novo,

6 e orou: “Senhor, Deus dos nossos antepassados, não és tu o Deus que está nos céus? Tu governas sobre todos os reinos do mundo. Força e poder estão em tuas mãos, e ninguém pode opor-se a ti.

7 Não és tu o nos­so Deus, que expulsaste os habitantes desta terra perante Israel, o teu povo, e a deste para sempre aos descendentes do teu amigo Abraão?

8 Eles a têm habitado e nela cons­truíram um santuário em honra ao teu nome, dizendo:

9 ‘Se alguma desgraça nos atingir, seja o castigo da espada, seja a peste, seja a fome, nós nos colocaremos em tua presença diante deste templo, pois ele leva o teu nome, e clamaremos a ti em nossa angústia, e tu nos ouvirás e nos salvarás’.

10 “Mas agora, aí estão amonitas, moabitas e habitantes dos montes de Seir, cujos territórios não permitiste que Israel invadisse quan­do vinha do Egito; por isso os israelitas se desviaram deles e não os destruíram.

11 Vê agora como estão nos retribuindo, ao virem expulsar-nos da terra que nos deste por herança.

12 Ó nos­so Deus, não irás tu julgá-los? Pois não temos força para enfrentar esse exército imen­so que vem nos atacar. Não sabemos o que fazer, mas os nossos olhos se voltam para ti”.

13 Todos os homens de Judá, com suas mulheres e seus filhos, até os de colo, estavam ali em pé, diante do Senhor.

14 Então o Espírito do Senhor veio sobre Jaaziel, filho de Zacarias, neto de Benaia, bisneto de Jeiel e trineto de Matanias, levita e descendente de Asafe, no meio da assembleia.

15 Ele disse: “Escutem, todos os que vivem em Judá e em Jerusalém e o rei Josafá! Assim diz o Senhor a vocês; ‘Não tenham medo nem fiquem desanimados por causa desse exér­cito enor­me. Pois a batalha não é de vocês, mas de Deus.

16 Ama­nhã, desçam contra eles. Eis que virão pela subida de Ziz, e vocês os encontrarão no fim do vale, em frente do deserto de Jeruel.

17 Vo­cês não precisarão lutar nessa batalha. Tomem suas posições, permaneçam firmes e vejam o livramento que o Senhor dará, ó Judá, ó Jerusalém. Não tenham medo nem desanimem. Saiam para enfrentá-los ama­nhã, e o Senhor estará com vocês’ “.

18 Josafá prostrou-se com o rosto em terra, e todo o povo de Judá e de Jerusalém prostrou-se em adoração perante o Senhor.

19 En­tão os levitas descendentes dos coatitas e dos coreítas levantaram-se e louvaram o Senhor, o Deus de Israel, em alta voz.

20 De madrugada partiram para o deserto de Tecoa. Quando estavam saindo, Josafá lhes disse: “Escutem-me, Judá e povo de Jerusalém! Tenham fé no Senhor, o seu Deus, e vocês serão sustentados; tenham fé nos profetas do Senhor, e terão a vitória”.

21 Depois de consultar o povo, Josafá nomeou alguns homens para cantarem ao Senhor e o louvarem pelo esplendor de sua santidade, indo à frente do exército, cantando:
“Deem graças ao Senhor,
pois o seu amor dura para sempre”.

22 Quando começaram a cantar e a entoar louvores, o Senhor preparou emboscadas contra os homens de Amom, de Moabe e dos montes de Seir, que estavam invadindo Judá, e eles foram derrotados.

23 Os amonitas e os moabitas atacaram os dos montes de Seir para destruí-los e aniquilá-los. Depois de massacrarem os ho­mens de Seir, destruíram-se uns aos outros.

24 Quando os homens de Judá foram para o lugar de onde se avista o deserto e olha­ram para o imenso exército, viram somente cadáveres no chão; ninguém havia escapado.

25 Então Josafá e os seus soldados foram saquear os cadáveres e encontraram entre eles grande quantidade de equipamentos e de roupas e também objetos de valor; passaram três dias saqueando, mas havia mais do que eram capazes de levar.

26 No quarto dia eles se reuniram no vale de Beraca, onde louvaram o Senhor. Por isso até hoje esse lugar é chamado vale de Beraca.

27 Depois, sob a liderança de Josafá, todos os homens de Judá e de Jerusalém voltaram alegres para Jerusalém, pois o Senhor os enchera de alegria, dando-lhes vitória sobre os seus inimigos.

28 Entra­ram em Jerusalém e foram ao templo do Senhor, ao som de liras, harpas e ­cornetas.

29 O temor de Deus veio sobre todas as nações, quando souberam como o Senhor havia lutado contra os inimigos de Israel.

30 E o reino de Josafá manteve-se em paz, pois o seu Deus lhe concedeu paz em todas as suas fronteiras.

O fim do reino de Jeosafá

31 Assim Josafá reinou sobre Judá. Ele tinha trinta e cinco anos de idade quando se tornou rei e reinou vinte e cinco anos em Jerusalém. O nome da sua mãe era Azuba, filha de Sili.

32 Ele andou nos caminhos de Asa, seu pai, e não se desviou deles; fez o que o Senhor apro­va.

33 Contudo, não acabou com os altares idólatras, e o povo ainda não havia firmado o coração no Deus dos seus antepassados.

34 Os demais acontecimentos do reinado de Josafá, do início ao fim, estão escritos nos relatos de Jeú, filho de Hanani, e foram incluídos nos registros históricos dos reis de Israel.

35 Posteriormente, Josafá, rei de Judá, fez um tratado com Acazias, rei de Israel, que tinha vida ímpia.

36 Era um tratado para a cons­trução de navios mercantes. Depois de serem construídos os navios em Eziom-Geber,

37 Elié­zer, filho de Dodava de Maressa, profetizou contra Josafá, dizendo: “Por haver feito um tratado com Acazias, o Senhor destruirá o que você fez”. Assim, os navios naufragaram e não se pôde cumprir o tratado comercial.

Jeroão é rei de Judá

1 Josafá descansou com os seus antepassados e foi sepultado junto deles na Cidade de Davi, e seu filho Jeorão foi o seu sucessor.

2 Os ir­mãos de Jeorão, filhos de Josafá, foram Azarias, Jeiel, Zacarias, Azarias, Micael e Sefatias. Todos eles foram filhos de Josafá, rei de Israel.

3 Ele lhes deu muitos presentes de prata, de ouro e objetos de valor, bem como cidades fortificadas em Judá, mas o reino, deu a Jeorão, porque este era seu filho mais velho.

4 Logo Jeorão se fortaleceu no reino de seu pai e matou à espada todos os seus irmãos e alguns líderes de Israel.

5 Ele tinha trinta e dois anos de idade quando começou a reinar e reinou oito anos em Jerusalém.

6 An­dou nos caminhos dos reis de Israel, como a família de Acabe havia feito, pois se casou com uma filha de Acabe. E fez o que o Senhor reprova.

7 Entretanto, por causa da ali­ança que havia feito com Davi, o Senhor não quis des­truir a dinastia dele. Ele havia prometido manter para sem­pre um descendente de Davi no trono.

8 Nos dias de Jeorão, os edomitas rebelaram-se contra o domínio de Judá, pro­clamando seu pró­prio rei.
Nessa mesma época, a cidade de Libna também tornou-se independente, pois Jeorão havia aban­donado o Senhor, o Deus dos seus antepassados.

9 Por isso­ Jeorão foi combatê-los com seus líderes e com todos os seus carros de guer­ra. Os edo­mitas cercaram Jeorão e os chefes dos seus carros de guer­ra, mas ele os atacou de noite e rom­peu o cerco inimigo.

10 E até hoje Edom continua independente de Judá.

11 Ele até ­cons­truiu altares idólatras nas colinas de Judá, levando o povo de Jerusalém a prostituir-se e Judá a desviar-se.

12 Então Jeorão recebeu uma carta do pro­feta Elias, que dizia:

13 mas sim nos caminhos dos reis de Israel, levando Judá e o povo de Jerusalém a se prostituírem na idolatria como a família de Aca­be. E ainda assassinou seus próprios irmãos, membros da família de seu pai, homens que eram melhores do que você.

14 Por isso o Senhor vai ferir terrivelmente seu povo, seus filhos, suas mulheres e tudo o que é seu.

15 Vo­cê ficará muito doente; terá uma enfermidade no ventre, que irá piorar até que saiam os seus intestinos’ “.

16 O Senhor despertou contra Jeorão a hos­tilidade dos filisteus e dos árabes que viviam perto dos etíopes.

17 Eles atacaram o reino de Judá, invadiram-no e levaram todos os bens que encontraram no palácio do rei, e também suas mulheres e seus filhos. Só ficou Acazias, o filho mais novo.

18 Depois de tudo isso, o Senhor afligiu Jeorão com uma doença incurável nos intestinos.

19 Al­gum tempo depois, ao fim do segundo ano, tanto se agravou a doença que os seus intestinos saíram, e ele morreu sofrendo dores horríveis. Seu povo não fez nenhuma fogueira em sua homenagem, como havia feito para os seus antepassados.

20 Jeorão tinha trinta e dois anos de idade quando começou a reinar e reinou oito anos em Jerusalém. Morreu sem que ninguém o lamentasse e foi sepultado na Cidade de Davi, mas não nos túmulos dos reis.

Link.:  Biografia do Coronel Nishikawa

  • ademais
  • afinal
  • aliás
  • analogamente
  • anteriormente
  • assim
  • certamente
  • conforme
  • a fim de  – a fim de que –  a menos que  – a princípio – a saber.
  • acima de tudo
  • ainda assim
  • não apenas … , como também … , não só … , bem como … , não só … , como também … , não só … , mas também …porque
  • portanto
  • posteriormente
  • precipuamente
  • primeiramente
  • primordialmente
  • principalmente
  • salvo
  • semelhantemente
  • similarmente
  • sobretudo
  • surpreendentemente
  • todavia – a menos que – a princípio – a saber.
  • acima de tudo